« Home | (muitas) Músicas » | (muitas) Músicas » | (muitas) Músicas » | Roubado ao Arrastão » | Amorinzinhos e Berardinhos a toda a velocidade....... » | Os 200 euros do nosso contentamento » | Joãozinho » | Ok...mesmo para terminar...só mais um pouco de ama... » | E já agora... » | Na minha paleta particular de cores, o amarelo sem... »

sexta-feira, julho 31, 2009

"Laços"

...
"Não - disse o principezinho. Ando à procura de amigos. O que é que "estar preso" quer dizer?
- É a única coisa que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. - Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.
- Laços?
- Sim, laços - disse a raposa. - Ora vê: por enquanto, para mim, tu não és senão um rapazinho perfeitamente igual a outros cem mil rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto, para ti, eu não sou senão uma raposa igual a outras cem mil raposas. Mas, se tu me prenderes a ti, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E, para ti, eu também passo a ser única no mundo...
- Parece-me que estou a começar a perceber - disse o principezinho. - Sabes, há uma certa flor...tenho a impressão que estou presa a ela..."
...
"Mas a raposa voltou a insistir na sua ideia:
- Tenho uma vida terrivelmente monótona. Eu, caço galinhas e os homens, caçam-me a mim. As galinhas são todas iguais umas às outras e os homens são todos iguais uns aos outros. Por isso, às vezes, aborreço-me um bocado. Mas, se tu me prenderes a ti, a minha vida fica cheia de sol. Fico a conhecer uns passos diferentes de todos os outros passos. Os outros passos fazem-me fugir para debaixo da terra. Os teus hão-de chamar-me para fora da toca, como uma música. E depois, olha! Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? Eu não como pão e, por isso, o trigo não me serve de nada. Os campos de trigo não me fazem lembrar de nada. E é uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então, quando eu estiver presa a ti, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti. E hei-de gostar do barulho do vento a bater no trigo...
A raposa calou-se e ficou a olhar durante muito tempo para o principezinho.
- Por favor...Prende-me a ti! - acabou finalmente por dizer."



...
"- E o que é que é preciso fazer? - perguntou o principezinho.
- É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim, em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não me dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal entendidos. Mas todos os dias te podes sentar um bocadinho mais perto...
O principezinho voltou no dia seguinte.
- Era melhor teres vindo à mesma hora - disse a raposa. Se vieres, por exemplo, às quatro horas, às três, já eu começo a ser feliz. E quanto mais perto for da hora, mais feliz me sentirei. Às quatro em ponto já hei-de estar toda agitada e inquieta: é o preço da felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca saberei a que horas é que hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo, a pô-lo bonito...São precisos rituais. "

...
"Foi assim que o principezinho prendeu a raposa. E quando chegou a hora da despedida:
- Ai! - exclamou a raposa - ai que me vou pôr a chorar...
- A culpa é tua - disse o principezinho.- Eu bem não queria que te acontecesse mal nenhum, mas tu quiseste que eu te prendesse a mim...
- Pois quis - disse a raposa.
- Mas agora vais-te pôr a chorar! - disse o principezinho.
- Pois vou - disse a raposa.
- Então não ganhaste nada com isso!
- Ai isso é que ganhei! - disse a raposa. - Por causa da cor do trigo..."

...
"E então voltou para o pé da raposa e disse:
- Adeus...
- Adeus - disse a raposa. Vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos...
- O essencial é invisível para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer."

(Saint-Exupéry partiu num avião há 65 anos!)

Etiquetas:

3Comenta Este Post

At 7/31/2009 2:40 da tarde, Anonymous fj escreveu...

Impossivel de comentar,de tão pessoal( para tanta gente).Sucesso.

 
At 8/01/2009 4:22 da tarde, Blogger Leal Franco escreveu...

Ora aqui está um pedaço de maravilha e bom gosto (para não dizer outras coisas boas)!
Aqui só não concordo inteiramente com a palavra "prender" do texto. A mim soa-me melhor a palavra "cativar" a qual, sendo sinónimo, me parece mais adequada.
Que achas Isabel? No livro que li adolescente fixei esta palavra: Cativa-me!

 
At 8/01/2009 4:39 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Tens razão, Franco. No que tenho também o termo é "cativar", não prender. Este roubei-o à net...e usava prender. E sim é bem mais bonito.
Cativa-me é um "pedido" lindo. :)))

FJ, cada vez que cá volto, descubro uma coisa nova...já o li milhares de vezes. Desta vez "descobri" este " Às quatro em ponto já hei-de estar toda agitada e inquieta: é o preço da felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca saberei a que horas é que hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo, a pô-lo bonito..."

È tão bonita a ideia de pôr o coração bonito para esperar alguém, não é?

 

Enviar um comentário

<< Home