« Home | Espero pela coerencia de Paulo Portas » | Outra vez o Abominável Homem das Neves » | A SIC não perdoa » | Colchão ortopédico para homens ou .... » | Benfica - Nacional (depois do jogo) » | O que será que vão dizer a seguir » | Homem prevenido vale por dois » | Carlos Cruz - "Preso 374" » | In our world » | Um cheirinho de ontem... »

quarta-feira, outubro 28, 2009

Seria uma prova de boa fé da CIP

.
Por tudo isto eu até acho que o quase engenheiro Sócrates pode chegar a um acordo na próxima concertação social a fim de aferir da boa vontade dos nossos industriais. Aliás deveriam ser eles próprios a propó-lo. Assim sendo deveria ser mais ou menos assim:
Não há aumento do salário mínimo, mantem-se os subsídios e as empresas compromentem-se a aumentar as exportações em 25% (para equilibrar a balança comercial), a garantir os postos de trabalho existentes por um prazo de 10 anos, a aumentar eles próprios os salários ao nível da inflação mais 3% todos os anos no mínimo. (para garantir a recuperação do poder de compra perdido nos últimos anos) e muito importante, garantir o cumprimento do contrato colectivo em vigor para cada sector e a negociar o novo de acordo com a época em que vivemos sem aquelas imposições absurdas que eles normalmente põe.
Se a CIP concordar com isto tudo então acredito na boa fé deles. Como nunca aceitariam uma proposta destas só posso achar que o que eles querem é mesmo encher o saco deles sem nenhuma preocupação com quem trabalha.

Etiquetas:

1Comenta Este Post

At 10/28/2009 11:36 da tarde, Blogger André M. Palmeiro escreveu...

Parece dizer o rico ao pobre: - O que tu queres sei eu!!

E ai do pobre se alevanta a crista...

Qu'isto de haver direitos inalienáveis sempre os houve, mas esta do inalienável é só para quem os tem; os direitos, claro está...

Mas depois esses Van Zelere's de manto pardo é que são os senhores sérios e imaculados que auscultam os estertores da nação e lhe descrevem o preceituário.

Com médicos destes quem é que nos acode!?

 

Enviar um comentário

<< Home