« Home | Porque será??? » | José Socrates ou o "Jack the ripper" da imprensa » | Histórias de Barões e Baronesas » | Desta vez dou-lhe razão » | Já é oficial » | Portugal a fugir da crise » | É bom ter razão mesmo que não tenha sido dada em t... » | Um comentário que podia ser do PNR ou do CDS » | Afinal são tudo felinos » | A gente não sai de cá!! »

quarta-feira, outubro 21, 2009

Eu também tenho vergonha, mas é de ser conterraneo do Eurodeputado Mário David

Hoje sinto-me menos português que nos outros dias. Porque sinto que também devo renunciar à cidadania Portuguesa porque tal como afirma o eurodeputado do PSD Mário David há cidadãos portugueses que não se revêem na minha forma de pensar e como todos sabemos quem não pensa como o Mário David deve renunciar à cidadania. O problema é qual devemos escolher. Se o Sr. Eurodeputado souber de algum país que queira dar asilo religioso a 1/3 da população portuguesa, ou seja, toda aquela que não professa religião ou professa outra que não seja a católica avise, que nós entregamos todos o nosso Bilhete de identidade ou o cartão de cidadão mais o passaporte.
Aliás essa ideia de haver quem ache que pode definir como é que um português pode e deve pensar e deveras interessante. Pelos vistos a ideia de suprimir por 6 meses a democracia em Portugal não é um exclusivo da Manuela Ferreira Leite e tem seguidores no PSD. Aliás para quem não se lembra foi Cavaco 1º Ministro e Santana Lopes ministro da Cultura que vetaram o livro Evangelho do mesmo Saramago. Ou seja a imposição da “cultura boa” e a supressão da “cultura má” já é uma história com décadas no PSD.
Mas o Mário David vai mais longe. Tem vergonha de ser compatriota de Saramago. Pois bem. Está no seu direito. Eu tenho vergonha que haja eurodeputados portugueses que se sentem ao lado do Sr. Le Pen e que votem na filha deste. Eu também tenho vergonha de ter tido um 1º Ministro e actual Presidente da Comissão Europeia que tenha patrocinado a cimeira das Lages que levou à invasão do Iraque. Tenho vergonha do meu país ter uma concordata que protege um dos estados mais ricos do mundo, o Vaticano, e que devido a isso entrar menos dinheiro nos cofres do estado e com isso ter menos riqueza para distribuir. Também eu tenho vergonha de ver que há políticos que têm como lei suprema a bíblia e não a constituição da república pois preocupam-se mais que uma seja cumprida que a outra.
Cada um tem vergonha pelo que quer. Nada temos a ver com isso mas que define a nossa postura, disso não tenhamos dúvidas. Diferencia um animal rastejante e invertebrado de uma pessoa com coluna vertical. Diferencia quem prefere a critica justificada em vez de uma guerra e mortes inúteis. Ou não será o conflito do Iraque também uma guerra santa como foi definida por George. W. Bush. Nessa altura não ouvi o Sr. Mario David, ou a conferencia episcopal portuguesa a insurgir-se contra a leitura ingénua do então presidente americano. Ou será que o Bush filho fez uma leitura mais literária que teológica da bíblia como defende Carreira das Neves. Considerar a leitura da bíblia como um romance é tão absurdo como considerar o Kapital de Marx um ensaio. Quanto muito uma obra histórica mas muito incorrecta como é reconhecidopela própria Igreja.
.
Enfim cada um toma as atitudes que considerar mais adequadas. Se o Mário Dias tem vergonha que se esconda e não diga a ninguém que é português. Ou então contrate um grupo fundamentalista católico para “fazerem a folha” ao Saramago ou como última hipótese esperar que ele morra de morte natural para arder nas chamas do Inferno que a Igreja tanto apregoa. Saramago não se deve importar. As chamas do dito inferno não serão piores que os diabos beatos que lhe infernizam a vida na terra.
Eu pela minha parte vou enviar este texto para o Eurodeputado Mário Dias como forma de mostrar o meu desagrado pela forma como um país trata um prémio Nobel, ou melhor, pela forma como um partido, o PSD, e uma instituição, a ICAR, trata um dos melhores escritores portugueses de todos os tempos. O mail é dele é este,
mario.david@europarl.europa.eu para o caso de, quem como eu, quiser mostrar o seu desagrado a este ser, que tem vergonha de ser português porque há conterrâneos dele que não professam a mesma cegueira ideológica em relação á Igreja Católica Apostólica Romana e o seu livro supremo, a Bíblia.

Etiquetas:

10Comenta Este Post

At 10/21/2009 11:16 da manhã, Anonymous Anónimo escreveu...

Com euro-deputados destes, o nosso País , está péssimamente representado no Parlamento Europeu.

Seria importante que a direcção do PSD, ou pelo menos os seus colegas de bancada no Parlamento Europeu , se demarcassem das palavras do Sr David, pessoa totalmente desconhecida, mas até agora nada.

 
At 10/21/2009 11:52 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Anónimo, esta pessoa representa o PSD como a história do PSD que eu resumi no Post confirma.
Não tenhamos ilusões quano a isso.

 
At 10/21/2009 2:30 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

A sugestão veio do proprio Saramago e não do deputado , sejamos honestos e tenham memória please!!

 
At 10/21/2009 2:57 da tarde, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Vamos não descontextualizar as declarações do Saramago. Elas foram feitas por causa de uma situação concreta e que nada tem a ver com o facto de como o Eurodeputado refere no seu blog de ele abdicar da cidadania porque há "compatriotas que não se reveem nas posições extremistas dele" (saramago). Se isto tem alguma coisa a ver com a situação em que Saramago proferiu as declarações, que relembro foram a propósito do seu livro ter sido vetado para o programa curricular de português em deterimento do regulamento do Big brother.
Achoq ue quanto à memória estamos conversados e quanto á honestidade do meu texto também.

 
At 10/21/2009 5:42 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

A liberdade de expressão é para TODOS os cidadãos.
Simplesmente, ambos abusaram dela!!!

 
At 10/22/2009 1:01 da manhã, Blogger André M. Palmeiro escreveu...

Caro anónimo, em que sentido é que o cidadão José Saramago abusou da liberdade de expressão? Não estará a confundir defesa da honra com puro instinto persecutório à la Sousa Lara...

 
At 10/22/2009 7:48 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Anónimo, tenho de concordar com o André. Onde é que o Saramago abusou da liberdade de expressão?
Facto é que segundo a bíblia Caím matou Abel. Facto é que segundo a bíblia Caim não podia ser morto por estar protegido por deus. Facto é que segundo a bíblia Caim fez um acordo com deus que o seu castigo seria andar errante pelo mundo.
O livro é sobre isso mesmo. A história de Caim erante pelo mundo. Onde é que há aqui abuso da liberdade de expressão?

 
At 10/22/2009 9:06 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

André e Daniel Arruda:
Saramago não tem o direito a coberto da liberdade de expressão ofender o que há de mais intimo na essência do ser humano, a sua fé.
Só tem que respeitar é um mero escritor, aliás que já li e não gosto.

 
At 10/23/2009 9:44 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Anónimo e com que direito é que o Mario David me quer obrigar a não concordar com o Saramago na sua leitura da bíblia. A ideia de obrigar a um pensamento único é queé castradora da liberdade.

 
At 10/24/2009 2:14 da manhã, Blogger André M. Palmeiro escreveu...

Muito estranha esta reflexão, caro anónimo; também muita gente por este mundo fora venera a obra de Saramago e você arroga-se, e muito bem, do direito de dizer que não gosta, portanto... não entendo em que medida é que o nobel ofende "o mundo inteiro" na sua intimidade...

Responda-me a esta questão:- Se fosse eu ou outro ilustre anónimo a tecer idênticas considerações, ninguém ligava pois não...?

Sinceramente, não me parece que Saramago padeça do afã de vender a sua obra a todo e custo; disso não precisa; quanto ao resto, não reconheço legitimidade a quaisquer polícias do pensamento, até porque se elas existissem, Ratzinger já deveria ter sido calado há muito, muito tempo... já teve duas ou três declarações que... valha-nos deus; ups... não queria escrever deus, mas agora já está.

 

Enviar um comentário

<< Home