« Home | A selecção conseguiu » | Uma campanha interessante » | Uma partilha » | Simão, podias arranjar uma desculpa melhor » | Afinal eles até são nossos amigos » | A caminho de nos tornarmos o Zimbabue da Europa » | Como aparecem os gémeos para as novas gerações » | A lei do tabaco fracassou » | Terras de ninguém, um blogue que tem ser de todos » | Obrigado Sócrates »

quinta-feira, novembro 19, 2009

Desculpem qualquer coisinha

Nas últimas postas falei aqui de futebol. Ou mais ou menos futebol. Hoje embora vá falar do mesmo vou tratar de uma coisa completamente diferente. Vou falar de irracionalidade, de paixão de amor a algo que não se explica.
Já há algum tempo, mais propriamente em 2005 a ESPN, transmitiu um documentário sobre o Sport Lisboa e Benfica. Ou seja, não é nada actual mas também não é a actualidade que me interessa. Interessa-me aquilo que lá está. Desde a figura pública ao mais anónimo cidadão a confessarem esse amor inexplicável chamado Sport Lisboa e Benfica. Porque é de facto de um amor diferente que se trata. Não quero ofender ninguém mas é facto que em mais nenhum clube em Portugal se encontra esse fanatismo saudável. Essa coisa inexplicável de se achar que algo é nosso, tão nosso que ninguém o pode amar tanto como nós. No Benfica, ao contrário de outros clubes, muito poucos são os que se dizem Benfiquistas “não praticantes”. Muitos mesmo põem o Glorioso á frente de tudo ou mesmo ao lado dos filhos. Diz algures no documentário, julgo que o António Pedro Vasconcelos que “o Benfica nasceu pobre, viveu pobre e fez-se grande. Mas que os seus adeptos continuam pobres”, no sentido que não existe nas bancadas da Catedral ou em qualquer cosia que diga respeito ao Benfica classes sociais. Porque somos um só com o clube, todos iguais. Seja ele quem for. O mesmo foi referido de outras formas pelo Ricardo Araújo Pereira ou por outros que não fixei o nome. E é isto que torna o Benfica tão especial aos olhos de que vive o Glorioso. Se bem que é verdade que “aos olhos de quem ama o feio parece bonito” mas mesmo isso é uma característica. Só nós, os benfiquistas podemos odiar o nosso clube como o fazemos. Porque é o ódio sentido de uma relação que sabemos que nunca vai acabar.
Este documentário é por isso um hino ao nosso clube. Um desfilar de memórias em que todos nos revemos. Mas o documentário peca por escasso. Porque o Benfica é mais que o futebol como ali é apresentado. O Benfica é história, tradição e glória no Basquetebol, no Andebol, no Hóquei, no Ciclismo, no Futsal, no Voleibol entre tantas outras que ajudaram a que nos identificássemos com este clube. Não apenas porque tem as modalidades mas porque vivemos momentos gloriosos com homens como o Carlos Lisboa, o Henrique Vieira, o Jean Jacques, o José Carlos Guimarães ou o Carlos Seixas no Basquetebol. Com o Mário Gentil, o Vasco Vasconcelos, com o João Santa Barbara, o João Gonçalves ou o Paulo Bunze no Andebol. Com o Fanã, o Trindade, o Luís Ferreira, o José Carlos ou o Vitor Almeida no Hóquei, Com o José Maria Nicolau no Ciclismo. A lista seria interminável se eu a continuasse. Mas foram estes entre outros que fizeram a história secular deste clube único. Tal como foram marcantes momentos que foram vividos nestas modalidades como quando o grande Macabi de Tel-a-viv foi trucidado na Luz nuns quartos de final da taça dos campeões de basquetebol. Ou quando se virou em hóquei um resultado de 0-5 feito no pavilhão blau-grana de Barcelona contra o FC num 9-1 no pavilhão da Luz e que nos levou á final que nos haveria de dar a nossa taça dos campeões de hóquei. Ou os derby memoráveis no Pavilhão Borges Coutinho em Andebol, onde não cabia mais ninguém no pavilhão. Mais uma vez poderia aqui continuar com os feitos e referências desse enorme clube que dá pelo nome de Sport Lisboa e Benfica mas acho que não é preciso.
Ser do Benfica é pertencer a algo que nos transcende. É tão natural como andar, comer ou dormir. É ser do maior e de um dos melhores clubes do mundo, ou como diz o instituto de história e estatística da FIFA, pertencer a um dos 8 clubes de dimensão mundial que existem.

Etiquetas:

4Comenta Este Post

At 11/19/2009 6:21 da tarde, Blogger ▒▓█► JOTA ◄█▓▒ escreveu...

Eh pah... gostei do que li.

Já conheces os meus blogues do Benfica? Um de colecionismo e outro a minha coleção de cachecóis ( 515 )

Estes são os links.

http://benficadojota.blogspot.com/

http://benficascarves.blogspot.com/

Abraço e benfiquista até morrer

Voltarei

 
At 11/19/2009 6:54 da tarde, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Fui lá ver. Gostei especialmente da dos cachecois pois eu também sou colecionador embora de cachecois de diversos clubes. Tenho agora cerca de 430 com algumas relíquais pelo caminho e com a particularidade de que cerca de 80% vieram do local de origem dos clubes, por troca com adeptos ou porque lá fui.

Trago-te no coração
tenho orgulho em dizer
eu já nasci lampião
sê-lo-ei até morrer.

 
At 11/20/2009 4:03 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

cada vez a descer mais baixo...

 
At 11/20/2009 4:33 da tarde, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Anónimo, se não gostas, poe na borda do prato. come só as batatas.

 

Enviar um comentário

<< Home