« Home | È a democracia que está em causa » | A piada do momento » | Mary Robinson » | Desculpem qualquer coisinha » | A selecção conseguiu » | Uma campanha interessante » | Uma partilha » | Simão, podias arranjar uma desculpa melhor » | Afinal eles até são nossos amigos » | A caminho de nos tornarmos o Zimbabue da Europa »

sexta-feira, novembro 20, 2009

Eu abaixo assinado deploro também ...

Mesmo não gostando da maioria dos "opinadores" do DN costumo lá dar uma espreitadela. Porque por vezes encontram-se autenticas pérolas da estupidez do pensamento. Já sei que vai haver quem leia isto e que vai achar que é o mesmo que eu faço. Correcto, mas com uma diferença. Eu faço-o na minha assoalhada e não num jornal de referencia. É uma pequena diferença mas que faz toda a diferença.
Hoje no entanto apareceu um artigo assinado pela namorada de Sócrates, e trato-a assim porque é assim que ela se define no pseudo "artigo de opinião", mas voltando ao artigo, apareceu uma coisa que não consegui catalogar. um misto de psicolocia barata, com romance de cordel à mistura e com toques de revista cor derosa, tudo embrulhado numa indignação incompreensível. Se é certo que ela é namorada de Sócrates ela tem de ter cuidado com o que diz e da forma que o diz, como a Maria Cavaca tem de ter cuidado com o que diz quando fala de assuntos relacionados com o marido ou o princepe Filipe de Inglaterra quando fala da raínha. logicamente que tudo o que ela disser será interpretado à luz de uam relação que existe. Obviamente que eu não me acredito que se ela acreditasse que o seu namorado era um charlatão, um trafulha ou um corrupto que mantivesse a relação. A menos que ela fosse igual. Ora se não se acredita, todo o seu pensamento fica tolhido por uma visão distorcida. E isto não tem nada a ver com o facto de eu lhe dar razão na afirmação. Ela tem razão quando diz que não ha jornalismo de investigação em Portugal com a honrosa excepção do tabloide 24 Horas que ainda faz algum. O resto dos jornalistas estão á secretária a publicarem fontes.
Depois a indignação quanto ao cooperativismo da classe dos jornalistas. Mas só agora é que ela descobriu? Por onde tem andado? Só o critica agora porque lhe toca a ela? Já agora onde estava esta sua indignação para defender uma quase colega de profissão Manuela Moura Guedes? (acho que a dita senhora não lhe viu ser renovada a licença de jornalista há 3 anos mas isso é quase irrelevante)? Ou aí mediu o que ia dizer pela sua relação com o PM?
A indignação só cai bem quando é genuína e sincera. no caso da Sra Fernanda Cancio não é uma coisa nem outra. mas é a cereja em cima de um bolo de má qualidade que é este texto.

Etiquetas:

5Comenta Este Post

At 11/21/2009 12:19 da tarde, Blogger josé manuel faria escreveu...

Este tipo de assuntos não toca só aos outros.

A minha companheira irrita-se com alguns/poucos jornalistas quando estes abusam da expressão: " a mulher de..", ela é tanto política como eu, mais, até tem um cargo "superior".

- Ontem passei um raspanete ao director de um jornal, dizendo-lhe para ser sério, e deixar-se dessa coisa.

Qualquer dia as pessoas deixam de ter nome e passam a ser: o cunhado de, o sobrinho, o tio, o sogro, etc.. uma patetice.

 
At 11/21/2009 8:38 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

cooperativismo ? ( da classe dos jornalistas)

Não será antes corporativismo?

 
At 11/22/2009 3:40 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

Está muito bem Daniel, continua assim e aproveita e vai ao site do cds/PP do Seixal www.cdsppseixal.blogspot.com, abraço, joão Noronha

 
At 11/23/2009 2:21 da tarde, Blogger *JjS* escreveu...

Uma verdadeira "pérola da estupidez do pensamento". Não podia ser melhor.
Não sou fã da Fernanda Câncio, mas sou capaz de reconhecer que já teve intervenções corajosas na defesa de princípios e de valores capazes de unirem toda a esquerda.
Ela pode ser namorado de Sócrates de quem também, muito pelo contrário, não sou fã. Mas nunca me porei ao lado da misogenia que vai nesse trato de "namorada de..."
sobretudo quando à pessoa em causa não se pode atribuir qualquer favor, ou benefício para alcançar reconhecimento.

Quanto à nossa divergência sobre um post anterior sobre os coronéis da justiça, vi que veio o Daniel Oliveira escrever no Expresso, mais ou menos o que eu acho.

Este jogo é demasiado perigoso para se deixar passar. Há uns que percebem outros que talvez só percebam quando for demasiado tarde.

 
At 11/23/2009 3:01 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

"Ser do Benfica é pertencer a algo que nos transcende. É tão natural como andar, comer ou dormir. É ser do maior e de um dos melhores clubes do mundo, ou como diz o instituto de história e estatística da FIFA, pertencer a um dos 8 clubes de dimensão mundial que existem."

Ok, Daniel, desculpa lá qualquer coisinha, mas até eu deploro estas palavras que escreveste num post anterior.
Porquê?
É que isto ser um dos 8 melhores do mundo e depois ser eliminado da Taça pelo Guimarães é caso para dizer:

-Ai Jesus que lá foi a Taça.

E esta foi só a primeira!

 

Enviar um comentário

<< Home