« Home | Algumas notas sobre Lisboa » | Direitos hu..quê?????? » | Adriano Correia de Oliveira » | Obrigado Adriano - II » | Bem-vindo Makakula » | Ainda a Casa Pia » | Eu também apoio » | Obrigado Adriano - I » | Dia Mundial da Alimentação -16 Outubro » | 89 segundos »

quinta-feira, outubro 18, 2007

Contra Sócrates e a Flexisegurança

Foto IOL
...
1 - Duzentos mil sairam para a rua para dizer NÃO à Flexisegurança. Sócrates mais uma vez, tão grande era o sorriso, não deve ter visto nem ouvido.
...
2 - Desde há um ano, aquando da Manifestação dos professores e dos oitenta mil que sairam para a rua em Lisboa que a contestação tem crescido e se tem acentuado a mobilização.
...
3 - Os Sindicatos Europeus optaram pela ausência. Na volta, apesar de Flexisegurança ser um retrocesso na justiça social, é um retrocesso um bocado maior num País em que o Fundo de Desemprego não chega para sobreviver, em que grande parte dos desempregados não são por ele abrangidos, em que os salários são baixos, em que a formação profissional não existe.
Na volta, em Portugal a Flexisegurança comeu a segurança e ficar-se-á pela Flexi. Na volta, os trabalhadores Europeus têm, apesar de tudo, muito menos razões para se preocuparem do que os portugueses.
...
4 - A segurança do PCP, disfarçada de segurança da CGTP, continua igual ao fim de mais de trinta anos de Democracia. As agressões verbais, as provocações, as tentativas de isolamento não vêm dos trabalhadores. Trazem uma braçadeira no braço e, quando não usam braçadeia, trazem trinta anos na Direcção dos Sindicatos. Ao vê-los e ao recordar as notícias de há umas semanas sobre as reuniões de Carvalho da Silva com o BE, dá para perceber que os homens das braçadeiras exultarão quando Carvalho da Silva se afastar (isto é a forma politicamente correcta de dizer: quando afastarem Carvalho da Silva).
...

Etiquetas:

33Comenta Este Post

At 10/18/2007 10:38 da tarde, Anonymous josé manuel faria escreveu...

Que mania a tua de criticar sempre o PCP!

Carvalho da Silva dava um bom candidato presidencial.

 
At 10/18/2007 10:48 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Não é sempre...ok.é muitas vezes. Mas não é por mal...algum PCP recusa-se a mudar...e uma pessoa não é de ferro. :)

Concordo contigo, quanto ao Carvalho da Silva...apesar de talvez o P...pronto. Acabas de me traumatizar. Não digo.

 
At 10/19/2007 3:15 da manhã, Anonymous Daniel Oliveira escreveu...

JMF, eu estive lá e a Isabel está até a ser muito simpática na descrição. Nunca vi nada assim.

 
At 10/19/2007 7:55 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Concordo com o jose Manuel Faria em relação ao Carvalho da Silva e quanto ao criticar o PCP, depois daquilo que se passou ontem na Manif a Isabel até foi branda. O que se passou foi inqualificável. Insultos, provocações e tentativas de expulsão da Manif. Vergonhoso.

 
At 10/19/2007 7:58 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Só agora vi o comentário que estava pendurado do Daniel Oliveira. Ainda bem que concordamos.

 
At 10/19/2007 10:49 da manhã, Blogger Leal Franco escreveu...

Pois é. Grande manifestação.
E agora? Milhares de pessoas na rua contra o governo, e aquilo que andam aí a cozinhar contra os trabalhadores. Depois cada um foi para seu lado. Hoje amanheceu e a mesma trampa mantém-se! Houve mais notícias sobre a presença da selecção de Portugal no campeonato de ragueby! Qualquer joguito de bola desperta mais reportagens dos media!

 
At 10/19/2007 12:06 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Curioso... O vosso combate ao PCP já peca por primarismo isustentável.
Eu compreendo que perante a vossa incapacidade partidária de contribuir com uma forte mobilização de trabalhadores, invejem aqueles que a têm. Mas dai a ter ter sempre o PCP como alvo...
Deviam debruçar mais a vossa discusão sobre o paradoxo de ontem protestarem na manif. depois de terem feito uma aliança em Lisboa com o PS de António Costa, número 2 deste mesmo governo até às eleições lisboetas, um dos responsáveis políticos máximos do PS e como tal um dos grandes cúmplices e responsáveis políticos poe estas mesmas políticas que levaram à manif de ontem.

Mais, digo-o com tristeza, achei lamentável e senti-me incomodado com as atitudes do BE na manif de ontem. Eram os únicos identificados partidáriamente (Se esses comunistas que tanto vos incomodam, tivessem a mesma atitude, teriamos centenas de tarjas ao longo da manif com a bandeira comunista). Inseriram-se na manif à rebelia da organização da CGTP (estavam no passeio e integraram-se quando e onde lhes apeteceu mandando às malvas a organização) como se não chegasse, ainda desrespeitaram as ordens daqueles que eram os verdadeiros organizadores da manif, a CGTP. Distribuiram panfletos partidários do Bloco ao longo da manif. Repito: já imaginaram se os comunistas e muitos socialistas que não se revêm nesta política Socrática e também lá iam, fizesem o mesmo?
Fiquei com a nítida sensação de que haviam 2 lutas na mesma manifestação. Uma a da CGTP e dos trabalhadores em luta por uma europa mais social e contra esta política neoliberal do PS/Sócrates, exigindo uma inversão de políticas. Outra (dentro da manifestação anterior) pela luta do protagonismo e da visivilidade partidária.
E ainda atacam o PCP...

Lamento dizer que o BE é como uma marca que tem uma embalagem extremamente agradável mas o conteúdo é muito fraco.

 
At 10/19/2007 1:16 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Vermelho vivo, vamos lá então por partes:

A inveja: não sei o que é isso em termos políticos.

A mobilização: Quem faz a mobilização é a CGTP e as Direcções Sindicais, ou não?

O Acordo de Lisboa e a Manifestação: o que tem uma coisa a ver com a outra?
O BE fez um Acordo em Lisboa. Pela minha parte critiquei o meu Partido por o ter feito.
O BE apoiou a manifestação contra a Flexisegurnça e contra o Governo de Sócrates. Apoio o meu Partido nesse apoio.
O PCP faz alianças autárquicas com o PSD. Critico por isso o PCO. O PCP apoiou a Manifestação de ontem contra a Flexisegurança e o Governo de Sócrates. Tem o meu apoio.
O PCP deixou de poder apoiar a CGTP e os trabalhdores nas manifestações contra o Código de Trabalho de Bagão Félix por ter acordos em Sintra ou no Porto, para dar dois exemplos, com o Partido maoritário no Governo de Bagão Félix? Nunca me apercebi que os seguranças das Manifestações contra o Código de Trabalho tivessem alegado essa imossiblidade? o Vermelho vivo fê-lo?

A identificação partidária: concordo consigo. Preferia que não existisse e já o afirmei muitas vezes.

A integração na manifestação: A sua afirmação é falsa. Tinha sido acordado com a organização que a faixa a que se refere integraria a Manifestação a seguir ao SINTAV. O que fizemos. Esse acordo foi reconhecido por alguns dos elementos da Organização que disso deram conta (a minha frente) ao elemento da organização que nos quiz expulsar.

Os panfletos:O BE não distribuiu panfletos ao longo da Manifestção. O BE distribui panfletos na entrda da estação do Metro do Oriente, a anunciar um Comicio esta noite, enquanto decorria a Manifestação. A Manifestção não passava pela entrada do Metro do Oriente. Muitos dos manifestantes, depois de a deixarem ou antes da integrarem, sim. Não vejo o uPartido qualquer o fizesse.

Três trablahadoras colocaram-se atrás da nossa faixa...foram retiradas, puxadas, sem apelo, sem agravo e sem explicação por elemtos da organização.
Estavamos atràs da faixa esperando sermos nela integrado, no lugar que tinha sido acordado com a Organização, quando um dirigente sindical, daqueles com 30 anos à frente das Direções Sindicais, nos mimoseou com palhaços, traidores e acusações de não trabalharmos...dos trabalhadores que se encontravam atrás
da faixa, assumo sem nenhum receio de ser desmentida, que todos eatavamos na empresa ou no serviço antes de ontem...e estamos a trabalhar hoje.
Pode-me confirmar se lhe disser o nome do Dirigente Sindical que nos insultou há quantoa anos não entra numa empresa ou num serviço?

 
At 10/19/2007 1:53 da tarde, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Assim não vale Isabel. Não deixaste nada para eu dizer a esse vermelho cerebralmente morto.
Não achas que foi o tal que se meteu á frente da faixa a dizer que ninguém passava dali?
Francamente já não há paciência. Por isso é que o sindicalismo está como está. Sabias que por exemplo que com a fobia de se mudar os estatutos o Sindicato dos metalurgicos do Sul precisa de quase 33% dos filiados sejam candidatos á direcção para se poder constituir uma lista. Mas em vez de democratizar o sindicato vai indo de fusão em fusão (o que até nem seria mau se fosse por bons motivos) até qeu chguemos a um sindicato nacional com meia dúzia de filiados.

 
At 10/19/2007 1:58 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Isto de escrver á pressa tem desvantagens.
falta um pedaço de textO.
Em vez de :
"Não vejo o uPartido qualquer o fizesse."
Não vejo qual é o problema. Não veria qualquer problema em que o PCP ou outro Partido qualquer o fizesse.

 
At 10/19/2007 2:04 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Vamos então por partes.

Quem faz a mobilização, tal como a organização é efectivamente a CGTP.
Exactamente por esse facto, me incomodou a a tarja com a identificação do BE. Diz-me que também não concorda. Afinalestamos de acordo. Talvez deva por essa questaão à direcção do BE. Eu sou militante comunista, mas estava lá como trabalhador sindicalizado, integrado na luta organizada pela CGTP e era isto que também esperava dos elementos do BE.

O que tem o acordo de Lisboa a ver com a manifestação.

Tem muito mais importância do que aquela que lhe quer atribuir.

Tal como digo no comentário, António Costa é um dos grandes responsáveis por esta política do governo. É um alto responsável político do PS, e era um dos executantes desta mesma política à altura das eleições de Lisboa, seria-o ainda hoje se as eleições lisboetas não tivessem acontecido. Assim, o vosso acordo PÓS-ELEITORAL na maior câmara municipal e capital de Portugal, como tal, funcionou para o PS e principalmente para um dos grandes obreiros da política de direita deste PS, António Costa, como um excelente branqueamento da sua cumplicidade no estado em que se encontra o país.

Confesso o meu desconhecimento em pormenor dos acordos de que fala, mas penso que não se trataram de alianças com o teor da actual em Lisboa, mas sim de acordos pontuais em algumas matérias de importância local.

A integração na manif.

As indicações que tenho, dadas por dirigentes sindicais a quem pedi esclarecimento, não me dizem o mesmo. E também me disseram que não estavam previstas manifestações partidárias através de tarjas identificadas partidáriamnente. Baseio-me nas informações recolhidas. Tentarei posteriormente clarificar se é assim ou não.

Os panfletos que me tentaram entregar e que recusei alegando que só receberia panfletos entregues por sindicalistas e da proveniencia dos sindicatos e que, TAMBÉM continham a informação do comício, foi por baixo do túnel e em pleno desfile da marcha de protesto.
Não presenciei a cena de que fala, mas indicia-me aquilo que penso, o local na marcha em que o BE decidiu fazer a sua propaganda, foi decidido à rebelia da organização. Se assim não

 
At 10/19/2007 2:08 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Daniel Arruda:

Apenas lhe confirmo que não fui que fiz o que diz, nem sei do que fala, se fosse, assumia-o como a tudo o que faço na vida.

Quanto ao resto...
O tipo de argumentos e de linguagem que utiliza falam por si.
Não me merece comentário nenhum.

 
At 10/19/2007 2:48 da tarde, Anonymous aldeia pp escreveu...

Quanto ao constante ataque ao PCP, vindo de alguns elementos do BE nada de novo, agora mentir descaradamente é que não, ontem estavam elementos do BE, com mochilas do BE e a distribuir propaganda do BE aos manifestantes à entrada do “túnel do Oriente” e na altura tive oportunidade de dizer ao membro do BE que me veio distribuir a propaganda que aquela atitude era vergonhosa, aproveitar uma manifestação e o decorrer da mesma para distribuir informação partidária que nada tinha a ver com o que se passava não se fazia, deste elemento recebi indiferença, um outro elemento uma rapariga mostrou-se indignada com a minha observação e disse-me que os comunistas eram sempre a mesma coisa, que pretendiam ser os donos da Manif., eu disse-lhe que para esse peditório já tinha dado e que não iria perder muito mais tempo e que na minha opinião não é dessa forma que se consegue a unidade dos trabalhadores e convergências para causas que acredito serem comuns e ainda lhe referi uma vez mais que por não concordar com os métodos adoptados pelo BE, o mais importante é que estávamos numa grande jornada de luta e que tinha consciência de que dei o meu contributo para ela, quanto às atitudes, essas ficavam para quem as tomava e aproveitando este diálogo ou discussão como quiserem, houve outros manifestantes comunistas e não comunistas que referiram à jovem não ser aquela a melhor atitude.

A Luta Continua.

 
At 10/19/2007 3:01 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

Assim se vê ...

O que é o PÊ CÊ PÊ....

E anda o Louçã a fazer reuniões com o Jeronimo ,com o Carvalho da Silva como mediador, para acções conjuntas contra as politicas do Socrates...

Deixem-me rir...

 
At 10/19/2007 3:07 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

O que foram a mianifestação de ontem e a mini-greve geral...

Duas jornadas, que se sustentaram com os funcionários publicos.

Os trabalhadores dos privados, na sua maioria estiveram ausentes.

Essa é a grande fraqueza da GCTP, e dos seus controleiros o PCP.

Quanto á mobilização, depende, há quem venha por objectivos concretos, e há as Camaras PCP que trazem de arreata, reformados , funcionários das Camaras que controlam , com tudo pago, e que vêm a Lisboa de passeata e piquenique.

Mas quem ainda vai ás manifestações da CGTP sabe ao que vai....

 
At 10/19/2007 3:13 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

O acordo de Lisboa é Publico foi publicado na net...

Os acordos por baixo da capa do PCP-PSD, ninguem sabe o que são...

Veja-se o caso da Marinha Grande.

O presidente foi corrido por IMPOSIÇÂO do PSD... isso estava no accordo...

Ninguem sabe, e os militantes do PCP ainda menos, não vêm , não ouvem, não falam, não pensam, são meros papagaios, e quando acordam sucede-lhes o mesmo que á Luisa Mesquita, ou ao Carvalho da Silva, pois já faltou mais, para o correrem da direcção da CGTP.

É que o Nogueira e o Cartaxo estão como hienas á espera da presa, isto é o TACHO...

 
At 10/19/2007 3:17 da tarde, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Vermelho vivo, a minha linguagem está de acordo com a tua/vossa atitude de ontem e mais estou-me a borrifar para o que pensas de mim.

Aldeia pp, falal do que sabes, o panfeleto tinha a ver com um comicio do Partido das esquerdas Europeias e er a propósito da cimeira de lisboa o que como é fácil de ver tem tudo a ver com aquela manifestação.
Quanto aos donos da Manifestação, podem não ser mas agem como tal. Por isso é que se entrares nas empresas o que mais ouves é que muitas pessoas não vão a manifestações porque não estão para servir de idiotas úteis ao PCP.
se puderes fala do que sabes.

 
At 10/19/2007 3:41 da tarde, Anonymous aldeia pp escreveu...

O panfleto era do BE, identificado como tal e o tal encontro abre com a Ana Drago e fecha com Louçã, graças a si fico a saber que por culpa do PCP os trabalhadores não vão a manifestações, o melhor será o BE começar a organizar manifestações sem o PCP e assim terão muito mais participantes e também não deixa de ser curioso que me aconselhe a falar somente do que sei, pressuponho que o senhor será um sumidade em todos os assunto que aborda no seu blogue e quanto ao assunto em questão não será o senhor a aferir daquilo que eu sei ou não.

 
At 10/19/2007 3:51 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Por razões que desconheço, o comentário não apareceu todo. Admito que tenha sido erro meu ao inserir.
Então aqui fica o que falta:
...Se assim não foi, é óbvio que não concordo com a posição do dirigente sindical.

Presenciei, isso sim, já no recinto da manifestação, dirigentes da CGTP da organização da manifestação, a indicarem aos elementos do BE o seu caminho para o lado direito para se inserirem no grosso da manif, aliás como tinha acontecido a todas as organizações sindicais que chegavam a este local. E vi, porque estava lá, os elementos do BE a não acatarem as indicações e a teimarem em seguirem com a sua faixa para a frente, sendo assim diferentes. Este acontecimento gerou inclusive uma pequena discussão entre alguns trabalhadores e os elementos do BE.

Cara Isabel, fico com a ideia de que no essencial até concorda com aquilo que me incomodou a mim. sendo assim, menos compreendo o ataque ao PCP. Mas...

 
At 10/19/2007 4:17 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

AhAhAhAhAh!!! Só dá para rir!
Daniel Arruda:
A arrogância e falar das causas dos outros com a barriga cheia e o olhar demasiado direccionado para o seu umbigo sempre foi uma característica dos pseudo-intelectuais.
Atenção: não se confundam aqui os verdadeiros intelectuias.

Vai mal o Bloco!

 
At 10/19/2007 4:31 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Vermelho vivo, foi você que falou na inveja que o BE teria de não ter conseguido a mobilização partidária...como presumo que, ao falar em mobilização pardidária não se referisse à CGTP
...ok. Portanto quanto a esse ponto, concordamos. Não é ao PCP nem ao BE que cabe mobilizar os trabalhadores.

Reitero que , segundo o meu camarada que acertou a integração da faixa a que se refere na Manifestação, foi isso o que ficou acordado. Que entraria a seguir ao SINTAV.
Pelo que ouvi dois dos elemntos da organização que seguraram ( o termo é literal) um outro elemnto da organização que pretendeu expulsar-nos, não houve má interpretação da parte do meu camarada. Era, de facto, o acordado.

Concordo com tudo o que diz sobre António Costa. basta ver o Troll lá
a mais para trás, para confirmar que concordo.
Recoloco, no entanto, a questão:
Se o BE por fazer esse Acordo perde, segundo se depreende das suas palavras, legitimidade para apoiar as manifestações de trabalhadores contra a Flexisegurança e contra Sócrates, porque não perdeu/perde o PCP?
O PCP teve acordos autárquicos com Rui Rio no Porto (não foram acordos pontuais. Rui Sá foi vereador do Ambiente no anterior executivo de Rui Rio). O mesmo se passou com Seara em Sintra. Na altura o PSD era no Governo. Bagão Félix era ministro desse Governo. E o Código de Trabalho foi feito por Bagão Félix.
A CDU faz parte de muitas freguesias de Lisboa, em coligação com o PSD. Na minha, a da Pena, por exemplo. Não são acordos pontuais. São coligações pós-eleitorais.
Como a que, a meu ver, o BE fez com Costa e que eu critico.

Claro que eu até compreendia as palavras menos amistosas dos trabalahdores da CML, com todas as dúvidas (que eu também tenho) em relação ao seu futuro.
Mas as provocações não vieram de trabalhadores dos STML. As maiores provocações vieram de dirigentes sindicais do STAL.
Daí a pergunta:
Em Almada, no Seixal (só para dar dois exemplos de Cãmaras maioritariamente CDU) não há trabalhadores precários? Por esses trabalahdores o STAL chama palhaços aos militantes do PCP presentes nas manifestações?
Muitos dos trabalhadores´a recibo verde da CML são-no há mais de 10 anos. Na altura a CDU tinha uma coligação eleitioral com o PS na Câmara de Lisboa. Alguma vez os dirigentes do STAL mandaram os militantes do PCP presentes nas manifestações contra os Governos de então, irem trabalhar?

 
At 10/19/2007 4:44 da tarde, Anonymous JD escreveu...

Mas porque carga de água é que só em Portugal é que se vê disto? Os camaradas cá do rectângulo nunca viram manifs em Paris, Madrid ou Roma, em que vão lado a lado os sindicatos, as organizações e os partidos de esquerda? O problema do PCP é que se não forem os partidos identificados presume-se que são todos comunistas...
Em Braga, um par de anos atrás, foi cancelado o desfile do 25 de Abril pq o pessoal do Bloco apareceu com bandeiras, sendo que antes disso avisou a organização de que ia levar meia dúzia de bandeiras, o que levou o PCP a levar uma dezenas de bandeiras mas, por fim, só para não verem as nossas a percorrer as ruas, anularam o desfile.
E em Guimarães, na manif de Julho passado, aconteceu exactamente a mesma coisa que em Lisboa, sendo que um grupo do MRPP que levava uma faixa sem qualquer identificação do partido também foi expulso...
Enfim, estive duas décadas no PCP sei bem o que a casa gasta.

 
At 10/19/2007 4:57 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Vermelho vivo, o facto de termos optado por activar a moderação dos comentários, faz destas: o resto do seu comentário entrou uma hora antes da minha resposta...mas ´so o "soltei" agora.
Mas não falat muito.
Do seu comentário concodo com duas coisas: que não deveriamos levar uma faixa com o nome do Bloco. Que não deveriamos ter feito um acordo autárquico em Lisboa.

O porquê das criticas ao PCP??
Porque muitos militantes do PCP se arvoram donos das lutas dos trabalhadores. E dos trabalahdores (aquela de puxar as três trabalhadoras foi à minha frente...fiquei de tal maneira "aparvalhada" que acho que ao principio nem queria acreditar no que via...)
Conheço o suficiente das Direcções Sindicais para saber que a postura dos dirigentes que nos provocaram e injuriaram não é, infelizmente, excepção.
Esses dirigentes sindicais são quadros do PCP e o PCP não se demarca da sua actuação.
O PCP não tem qualquer legitimidade nem credibilidade para criticar Sá Fernandes e o BE pelo Acordo de Lisboa. Porque faz acordos autárquicos com a Direita há anos.
Não me apetece muito ser apelidada de palhaça e acusada de não trabalhar porq eum não entra numa empresa há nos, sustentados em Estatutos de Sindicatos que há anos deveriam ter sido alterados (muitos deles, como de certeza sabe, vêm de antes do 25 de abril)...seguramente manias minhas.

 
At 10/19/2007 5:29 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Aldeia pp, ataques ao PCP? não, está enganada. Criticas ao PCP.
Reitero que só vi militantes do meu Partido a distribuir propaganda na Estação (aliás a convocatória o pedido de disponibilidade que me fizeram, era para esse local. Se foi integrado na manifestação, penso que não deveria ter sido. No entanto, e como lhe disse o daniel, era uma convocatória para um comício das Esquerdas Europeias a própósito do tal acordo de Lisboa...que nós estavamos ali a contestar. Não me parece ilegítimo. Pode-me parecer criticável.

Quanto ás razões que levam muitos trabalhadores a afastar-se das manifestações...e mais grave, para o afastamento da vida e da luta sindical. Não vale a pena taparmos os olhos. Ou se repensa rapidamente a forma de chegar aos jovens e de recuperar muitos dos que, entretanto, se afastaram ou os tempos que aí vêm será muito escuros...e sim a forma sectária como o PCP está no Movimento Sindical, mas também a inconsequência de muitas lutas, de que fala o Leal Franco, as direcções que se eternizam nos Sindicatos e que assim vão criando fossos em ralação aos problemas de hoje dos trabalhadores e aos próprios trabalahdores, uma linguagem que cada vez diz menos aos jovens, as greves convocadas ao sabor dos calendários partidários e que depois têm como consequência, serem cada vez mais, de facto, greves da função pública. E que cada vez trabalhadores afastam e não mobilizam...Aldeia PP, sim grande parte da culpa do afastamento dos trabalhadores é do PCP e do Movimento indical.

 
At 10/19/2007 5:54 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

Vão ás manifestações do PCP e depois queixem-se.

Esta gente não muda, são controleiros, porque coitados, não vêm mais longe que o Avante.

São como seitas,o chefe manda e carneirada obedece.

E a maioria dos dirigentes sindicais, está mais preocupada em defender o tacho, do que defender os trabalhadores que dizem representar.

A taxa de sindicalização é baixissima, o credito de muitos sindicatos é nulo, mas estes obtusos militantes do PCP, não querem ver.

Problema o deles.

O que me admira é ver dirigentes e adeptos do Bloco de Esquerda, a deixarem-se manipular desta maneira.

Quanto ás alianças, vejam esse triste caso da Matinha Grande, coligação PSD-PCP, se tivessem um pingo de vergonha na cara, nem se atreviam a falar do acordo de Lisboa.

 
At 10/19/2007 6:50 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Ouço aqui, falar tanto da Marinha Grande...
Que eu saiba, A CDU ganhou a Câmara da Marinha Grande com minoria, ao vereador eleito pelo PSD foi oferecido um (ou mais?)pelouros que este aceitou paralelamente, tem apoiado as políticas implementadas pela CDU na câmara. Foi ou não isto que aconteceu?
O que tem isto a ver com o REBUÇADO que o PS/Sócrates ofereceu por conveniência própria ao BE e este aceitou em Lisboa?

Não esqueçam da utilidade que foi para este PS/Sócrates poder lavar a um pouco a cara de direita que tem, (aliás, é o governo mais à direita de todos os governos de direita que governaram portugal após o 25 de Abril) ao dar um rebuçadito e poder dizer aos seus militantes: Veêm, nós somos de esquerda, até procuramos o Bloco como parceiro previligiado. A isso eu chamo disponibilidade do BE para lavar a cara do Ps/Sócrates e especialmente de António Costa.

Comparar estas duas situações parece-me um absurdo completo.

 
At 10/19/2007 7:11 da tarde, Anonymous vermelho vivo escreveu...

Vou utilizar as palavras deste próprio blog para me fazer entender melhor e para explicar porque é que não tem paralelo alguns acordos em outras câmaras e a aliança de Lisboa. "...A maioria PS/BE da CML, como os orgãos de Comunicação Social teimam em escrever não existe.
Sá Fernandes e o Bloco ficarão para sempre "prisioneiros" das políticas desta Câmara, mas Sá Fernandes está sozinho em grande parte delas. E vota vencido."

E agora pergunto eu:
então o que está lá a fazer?

Mas não foi isto que nós comunistas, sempre dissemos que ia acontecer?

Ainda uma resposta que me passou:

Cara Isabel:

É óbvio que não é apenas na coligação em si que está o problema.
O problema é o contexto em que ela foi feita, com a personalidade com quem ela foi feita, e no momento que os trabalhadores e o povo atravessam, em que também precisam da coerência e determinação daqueles que dizem estar a seu lado nesta luta e com os resultados óbvios que se dizem acima.

Parecem-me um pouco levianas as acusações que faz sobre alguns sindicalistas, ou comunistas.

Diga-me lá, é dirigente sindical?
Quantos dias perdeu no trabalho para mobilizar para a manifestação?
Quantos dias perde por mês para ir às empresas visitar os trabalhadores, saber em que condições trabalham, receber as suas cotas, e sindicalizar novos trabalhadores?

Que fique claro que estou apenas a pedir um esclarecimento e não a acusar de que não faz nada disto.

Por fim, também me incomodou a atitude dos membros do Bloco na entrada do recinto da manif. No entanto isso não me fez nem me fará disparar sobre o BE e os seus participantes na manif no meu blog.
Sabe porquê? Tenho consciência a de quem são os verdadeiros adversários dos trabalhadores e do povo Português.

 
At 10/19/2007 7:59 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

JD, a história das bandeiras é algo surreal...e levada ao extremo...Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã, estão nas manifestações em representção partidária, ou não? Quer se queira quer não, "funcionam como bandeiras" partidárias ou não? Deveriam ser proíbidos de participar?

 
At 10/19/2007 8:03 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Vermelho Vivo, não vale a pena só ver o que...quer ver. Pela minha parte vejo até o que não queria ver e por isso escrevia há dois dias as palavras que transcreve.
A coligação no Porto e em Sintra entre a CDU e o PSD é, em termos práticos (apesar de tudo tem diferenças de contexto - toda a gente sabe o que foi acordado, no caso de Lisboa...) a mesma situação.
Tal como eu escrevo em relação a Sá Fernandes e ao BE tambem Rui Sá e o PCP, no Porto, ficaram prisioneiros de Rui Rio. A CDU só tinha um vereador. Uma minoria igual à de Sá Fernandes.
Ou o que se pssa na Pena, só para lhe dar o exemplo que melhor conheço - a CDU tem um elemnto em cinco...e por aí adiante. Diga-me qual é a diferença?

Quanto ao momento da Coligação...venha-me cá dizer que você e eu não achavavamos na altura do Bagão Félix que o Governo do PSD era o Governo mais à direita...e que o Código de Trabalho era o maior atentado às conquistas dos trabalhadores desde o 25 de Abril. Venha-me lá dizer que você não fez comigo (aposto que sim) uma greve geral contra ese Código e contra esse Governo?

A nossa diferença é que eu critico o meu partido por ter feito este acordo como critiquei o seu pelos acordos autárquicos com a Direita. E você critica o meu partido por este Acordo mas defende os acordos do seu Partido com a Direita.
Quem está a ser parcial sou eu?

Não, não sou dirigente sindical. Sou membro de uma Comissão de Trabalhadores há dois mandatos e meio. Em nome da necessidade de renovação que defendo gostaria de não me candidatar ao 3º. Não sei se as condições objectivas da minha empresa o vai permitir. A ver vamos.De qualquer forma serei julgada pelos meus colegas duma forma democrática. E serei ou não eleita pela forma de eleição que considero mais justa e democrática. Pelo método de Hondt. Que o Movimento Sindical afecto à CGTP recusa usar nas suas eleições.

Não tive, portanto que perder dias de trabalho para mobilizar os trabalhadores. Como estou na empresa, faço o meu trabalho de mobilização nos dias normais de trabalho.
Não vou portanto às empresas receber quotas ou sindicalizar trabalhadores. Mas já agora deixe-me dizer que os dirigentes do meu Sindicato também não...aliás, as dessindicalizações têm sido constantes. E nem um lá vi a mobilizar para a manifestação de ontem...
Aquando da tentativa de mobilização para a Greve Geral estivemos todos, como é lógico que assim seja. A adesão não foi grande. Temos que repensar muita coisa, escrevi ali atrás.
Agora se você se quiser convencer que os problemas da mobilização e da desmobilização dos trabalhadores, está numa faixa do Bloco de Esquerda...pode ficar mais feliz...mas não está a ser realista.

 
At 10/20/2007 12:16 da manhã, Anonymous Anónimo escreveu...

Na Marinha Grande o PSD IMPÔS a saida do Presidente, e o PCP obedeceu.

O que tem esta sabujisse , ou este negocio de compadres, a ver com o público e por todos conhecido acordo de Lisboa

Nada....

Porque dos negócios do PCP com o PSD, só os dois sabem.

O povo que votou no presidente eleito para a Marinha Grande, não foi visto nem achado na moscambilha da sua demissão precoce.

Mas isto é a maneira do PCP fazer politica, e está tudo dito.

 
At 10/20/2007 1:25 da tarde, Anonymous António Vilarigues escreveu...

Do essencial ao secundário,ou a minha experiência na Manifestação,
1. Foi uma grande manifestação.
2. O pouco relevo, ou quase silêncio na comunicação social atesta-lo
3. Não vi nada daquilo que discutem
4. Desfilei, ou heresia das heresias, integrado na zona de Viseu, com uma dirigente nacional do BE (Maria da Graça Marques Pinto), ela do SPRC eu do CESP
5. Cumprimentámos e fomos cumprimentados afavelmente pelo Miguel Portas (que eu desviei para a política quando ele tinha 12 anos e eu 16...)e pelo Francisco Louçã
6. Cumprimentámos, sempre em ambiente de «unidade na acção», o Jerónimo de Sousa e ouros membros da CP do CC do PCP
7. Alguns dirigentes do PCP tomaram a iniciativa de vir saudar a Magaça que já não viam há muitos anos
8. Pelo caminho (no autocarro, que não na manifestação) fomos discutindo as nossas divergências óbvias
9. Na manifestação participámos em pleno até a «voz nos doer»
10. Para o caso recorde-se que o inimigo principal é o capital
11. Isto não é uma frase feita, é a mais pura e dura das realidades
12. Já agora, e para terminar, convém não confundir clarificação ideológica com insulto e calúnia

 
At 10/20/2007 7:44 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

António, comecemos, então, por uma ponta sem grande preocupação onde está o acessório e o essencial.
Tal como o António, comecei o meu post salientando a grande mobilização e a contestação ao Governo que esta manifestação constituiu.

Não inventei nada do que descrevi, no post, generalizando, e , depois nos comentários duma forma mais concreta.

Não duvido nada do que você (d)escreve.

A animozidade de alguns dirigentes sindicais (logo no post escrevi que não se tratava de trabalhadores, mas de membros da organização. Lembro-me que falei em braçadeiras...) acontece normalmente junto à faixa com a dentificação do Bloco...daí o post de mais em cima.Porque verdadeiramente não entendo a razão...pode ser uma opção discutível, a de transpotar uma faixa com um símbolo partidário, não é uma opção ilegítima.

Não considero nenhuma heresia o António ir integrado na delegação da sua localidade. Como também não considero se for integrado na delegação do seu sindicato. Como não considero se eu for integrada na delegação do meu Partido. è uma opção como outra qualquer. Repito, discutível, não ilegítima.

Tenho muitos amigos do PCP...seguramente que alguns que me viram também me cumprimentaram...como fizeram com a Margaça...a questão não está, portanto, aí.
A questão está em alguém decidir por mim se eu para ser cumprimentada posso ir com uma faixa com um simbolo partidário ou tenho que aceitar a imposição de não o fazer...ou se eu para ser respeitada tenho que ir junto ao Miguel Portas ou ao Francisco Louçã...ou posso ir com outros camaradas do meu Partido.
Concordo inteiramente com o seu ponto 12...daí ouvir desconfortavelmente que me chamem palhaça, traidora, oportunista e me mandem trabalhar.
Aceitaria que tudo não passou de uma série de casos isolados...infelizmente há trinta e tal anos que assisto a episódios semelhantes...quase há tantos como os que passaram desde que o António levou o Miguel para a política.

 
At 10/23/2007 2:56 da manhã, Anonymous Anónimo escreveu...

só te chamaram palhaça, traidora, oportunista e ainda te queixas granda puta anticomunista!

 

Enviar um comentário

<< Home