« Home | Por acaso Lisboa...poderia ser qualquer outro luga... » | Os nãos de Alegre » | Não estava fácil chegar lá... » | Músicas, promessas, esperanças, certezas, escolhas... » | "Parece ridiculo" » | Isto só outro mundo seria possível. Ou em Portugal... » | Porque hoje é 13 de Maio » | Não se pode confiar neles, é o que é... » | É desta que me vão chamar nomes » | Desculpa Daniel, mas tenho que te dar porrada!!! O... »

domingo, maio 17, 2009

Santa ignorância...a minha!

Ontem, camaradas de fora de Lisboa, perguntavam-me, mas que raio se passa em Lisboa, que o trânsito tá maluco e não conseguimos chegar aí. Eu não sabia responder.
Calculo que este importante acontecimento já deveria estar marcado há imenso tempo. Afinal, já desde o tempo de Salazar e Cerejeira que se sabia que em 2009 a estátua faria hoje 50 anos. Desde 1917 se sabia da senhora em cima da oliveira e era só juntar dois mais dois e teria conseguido explicar a confusão.
Se tivesse juntado a isso o vivermos num estado laico, tivesse tido tempo de abrir a televisão do estado laico, me tivesse lembrado que estamos em ano eleitoral, não tinha passado por uma parva ignorante que não sabe o que de importante se passa na sua cidade e no seu país. Quiçá no Mundo, que a visita da senhora à estátua deve ter tido algum impacto, que isto da fé é como as asas da borboleta. Move montanhas.
Só bem mais tarde, pois, juntei dois mais dois e cheguei ao aniversário do dito e à visita da senhora.
Perdi os directos mas li as caixas de comentários do Arrastão e fiquei dentro do espírito da coisa.
O que não vou é perdoar ao meu Partido ter marcado uma reunião da Mesa Nacional para ontem ...afinal, não sei quando voltarei a ter oportunidade de assistir a horas de directos da televisão pública sobre procissões religiosas, festas de aniversários de estátuas mandadas construir pelo Salazar e assim.
O meu filho sossega-me e diz para estar descansada que não devo ter que esperar muito...como é mais novo, deve ter boa memória e deve saber do que fala, respiro de alívio.
Ainda tenho que saber é se a reunião da MN foi marcada antes ou depois da senhora ter confirmado a sua vinda à festa e que, pelo caminho, passaria por Lisboa. Se foi depois, continua a ser inaceitável.

Nota: Sempre respeitei a fé de quem a tem. Fantochadas destas, não me lixem, não têm nada a ver com fé. São resquícios de uma mentalidade salazarista bolorenta, misturados com cálculos eleitorais, a que se junta o grave momento social que se vive , terreno ideal para todos os fundamentalismos.
Tudo junto e, voilà, camaradas. Eis a resposta que não vos soube dar.

Alienação, pura e dura, é o nome artistico do imbróglio do trânsito de ontem em Lisboa. A fé não encerra o Metro...

Etiquetas:

7Comenta Este Post

At 5/17/2009 9:44 da tarde, Blogger Emiele escreveu...

A 'justificação' devia ser por se tratar de «um monumento nacional» valha-me aqui não Deus mas o Cristo-Rei.
Mas o certo é que para além de tudo o mais como monumento é bem feio. Como completamente ateia, admiro algumas igrejas bem lindas que são de facto monumentos. Não aquilo.
E é curiosos a reverência que o catolicismo ainda merece. Podemos brincar com tudo menos com isso.
Enfim...

 
At 5/18/2009 11:54 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

ISabel, não foi só por causa disso. Foi também por causa da benção das fitas que decorreu em lisboa. Havia também muita gente por causa disso.

 
At 5/18/2009 12:46 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Pois é, ainda por cima é feiosos, comó caraças.
Sim e viste os comentáruos inflamados no rrastão por o daniel brincar com aquilo?

 
At 5/18/2009 12:47 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Daniel, bem me parecia, que eu vi putos na faculdade de Medicina, com capas e coisas dessas...o que vale é que nessa coisas eu tenho um filho muito independente....e desalinhado.
Nem deve ter dado por isso!!

 
At 5/18/2009 7:41 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

O Santuário do Cristo Rei é um dos ex-libris de Lisboa. A ideia da sua construção surgiu em Setembro de 1934, depois do Cardeal Cerejeira, Patriarca de Lisboa visitar o Monumento erguido a Cristo no alto do Corcovado, sobre o Rio de Janeiro. Quando chegou a Portugal teve a luminosa ideia de propor um Monumento semelhante em Lisboa. Foi no entanto a não participação de Portugal na II Guerra Mundial que precipitou a concretização da obra, na sequência de uma promessa, feita pelo episcopado, que se Portugal fosse poupado à hecatombe da guerra o monumento seria construido a Imagem do Sagrado Coração de Jesus.
O monumento foi inaugurado a 17 de Maio de 1959. A autoria é dos arquitectos António Lino e Francisco de Mello e Castro e dos mestres-escultores Francisco Franco e Leopoldo de Almeida.
O monumento está a 113 metros acima do nível do mar e oferece uma das mais bonitas vistas sobre a cidade de Lisboa.

 
At 5/18/2009 8:16 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Caro/a Anponimo/a, obrigado pela história do Crito rei. Teria sido suficiente um link para a Wikipédia...mas assim tem mais sabor e empenho.
Não sei é a que propósito vem a história da estátua...por ser feia, por cortar o transito ou por trazer cá a Nossa Senhora de Fátima?

 
At 5/18/2009 8:16 da tarde, Blogger Isabel Faria escreveu...

Ah...desculpe.A vista é muito bonita, sim.

 

Enviar um comentário

<< Home