« Home | ET go home » | Eu também já estive possuido .. » | E vão 94 » | Eu também sou metereoligista » | Uma entrevista a não perder » | Conseguiu e com distinção » | Esclarecimento » | Sobre a Autoeuropa e o ano 2009 » | Café?????? » | Autoeuropa »

quinta-feira, junho 25, 2009

Michael Jackson morreu

Morreu Michael Jackson. Foi há pouco mais de uma hora e não me apetece escrever sobre isso. Porque são demasiadas recordações de uma juventude que cresceu com o seu som.
Deixo-vos com uma posta que escrevi aqui no dia 16 de Abril de 2008 e este link para uma posta escrita a 14 de Junho de 2005. Podem achar piegas mas de facto morreu o rei do pop, figura apenas comparável a outras como Elvis ou Sinatra. Fica para a posteridade que os 50 concertos para Londres a partir de 8 de Jullho estavam esgotados e bilhetes a serem leiloados por 10.300 euros.
Se puder vou aqui colocar ao longo dos próximos dias alguns vídeos que não estão referidos nos posts.
.
Já vai para muito tempo que eu não posto uma coisa politicamente incorrecta. Por isso vou fazê-lo hoje. Como já quase toda a gente sabe tenho 34 anos o que me torna portanto um membro de pleno direito da geração rasca. E essa geração teve como todas as gerações tiveram os seus ídolos. Uma das grandes "guerras" musicais dos anos 80 foi a luta entre Prince e Michael Jackson para saber quem era o maior ídolo pop e até a mim que não era tal como agora não sou um enorme fã do pop (sou mais um fã da qualidade, esse conceito subjectivo, e essa não escolhe géneros) essa "guerra" "obrigou-me" a escolher um dos lados. Talvez por já ser do contra a minha preferência sempre foi para Michael Jackson a ponto de não ir ver Prince no seu concerto em Lisboa mas não falhando esse memorável concerto em Alvalade daquele que para mim foi o ícone maior do pop em masculino, sim que no feminino a Diva é, foi e será a Madonna (não viram mas acabei de fazer uma vénia).Estão agora a perguntar onde está o politicamente incorrecto desta posta? Pois. O que acabei de escrever foi apenas a introdução para explicar o que vem a seguir. É que anda hoje sou um fã de Jackson e ainda o defendo. Bem, fã é difícil pois a carreira deste magistral artista já acabou muito por culpa do demónio que dele fizeram e já agora do que ele próprio se fez. (como nota de rodapé diz-se que em 2008 vai sair novo álbum mas como já disseram o mesmo em 2006 e 2007 ...)Se calhar por isso foi com alguma angústia que assisti ao processo que os pais da criança, contra vontade desta, puseram em tribunal ao artista. E o "vontade deste" tem toda a importância para mim pois sou dos que acredito piamente na inocência de Micheal Jackson e que este nada de sexual teve com aquela criança como não teve com mais nenhuma criança. Duvido até que com adultos tivesse tido apesar do seu casamento com Priscilla Presley. Para mim o problema de Michael Jackson é outro. É de foro psicológico pois ele próprio não deixou de ser uma criança. Não sou médico mas toda a sua vida ele demonstrou que estava a procura de algo que o levasse a um estádio onde nunca esteve. A infância. A criação do Neverland (só o nome) na sua propriedade. O convidar milhares de crianças para lá. As suas birrinhas vistas como extravagancias mas que não passam de birras de quem tem dinheiro. Porque será que o seu melhor amigo e padrinho de seu filho é Macaulay Culkin outro menino rico cuja infância foi perdida. Tudo isto são sinais de que algo não vai bem naquela cabeça mas o facto de gostar de companhia de outras crianças neste contexto nada tem de criminoso.Felizmente o tribunal absolveu-o de todos os crimes mas infelizmente que a opinião pública não. Essa já tinha o julgamento feito e a sentença lida antes de ele começar mas como a memória não apaga a herança que ficou antes do declínio fica aqui uma música que me marcou. O Earth Song.Podia ter escolhido outas. O clássico "Thriller", o duro "They don't care about us", o "Black and White", o "Smooth Criminal" do filme Moonwalker", o Billy Jean", o "Bad", o Beat it", o "Remember the Time", o "Jam", o "You are not alone" ou o "The way you make me feel" só para dizer algumas das grandes canções daquele que quer se goste ou não, dos juízos de valor que se façam é a maior referência da cultura pop e o maior e mais inovador artista de que há memória a ponto de ainda hoje muitos telediscos e canções serem cópias decalcadas daquilo que Jackson fez nos anos 80 e 90...
Ao escrever esta posta estava-me a lembrar das tardes em que dancei estas músicas, das tentativas de "engate" fiz, dos bons momentos que passei com alguém especial com esta música por companhia, da frustração de não conseguir dançar assim, da felicidade que tive ao ver O Artista a subir ao palco em Alvalade e o que eu vivi naquele concerto, do alarido que havia no Martim Moniz junto ao Hotel que ele tinha alugado só para ele, da felicidade que eu vivi a cada nova canção, da ansiedade para levar a namorada a ver o filme Moonwalker em dia de estreia. Foram mesmo muitas as lembranças que tive ao escrever esta posta o que me criou uma inquetação. Será que sou eu que acredito nele ou será que as minhas memórias me impedem de pensar o contrário. Estou convicto que é a 1ª. A sério.

Etiquetas:

5Comenta Este Post

At 6/27/2009 6:25 da tarde, Blogger *JjS* escreveu...

Muito interessante!...
Enquanto escreveste este panegírico morreram umas dezenas/centenas de crianças com fome, com doenças evitáveis, vítimas de maus tratos...
Ok. I'm bad. Realy bad.

 
At 6/29/2009 8:13 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

JjS, Tens toda a razão mas dessas também já falámos por aqui.
Remember the time, please e não faças disso um thriller.

 
At 6/30/2009 12:49 da manhã, Anonymous candida escreveu...

estas discussões são de uma vacuidade total. um disparate. é evidente, não é? enquanto teclas ( e eu tb) morrem milhares de pessoas.

 
At 6/30/2009 8:23 da manhã, Blogger Daniel Arruda escreveu...

Candida, o problema é que há umas quantas que não me causam problema nenhum morrerem e outras até me dariam um certo gozo.
Neste caso e por várias razões não é assim.
Decerto também terás nas figuras pública umas que te dizem mais que outras.

 
At 7/03/2009 3:00 da manhã, Anonymous Anónimo escreveu...

Adorei o post. Eu nao sou da tua geração, sou mais da geração morangos com açucar e confesso que antes do michael jackson morrer, eu nao lhe dava grande importancia, mas agora que a MTV nao para de passar os videos dele, tornei-me uma grande fã.

Michael Jackson realmente é um artista que atravessa gerações.

 

Enviar um comentário

<< Home